Ele falava nisso todo dia

Gilberto Gil

Alaiá, alaiá, alaiaialeluia
Alaiá, alaiá, alaiaialeluia

Ele falava nisso todo dia
Ele falava nisso todo dia
A herança, a segurança, a garantia
Pra mulher, para a filhinha, pra família
Falava nisso todo dia

Ele falava nisso todo dia
Ele falava nisso todo dia
O seguro da família, o futuro da família
O seguro, o futuro
Falava nisso todo dia

Alaiá, alaiá, alaiaialeluia
Alaiá, alaiá, alaiaialeluia

Ele falava nisso todo dia
A incerteza, a pobreza, a má sorte
Quem sabe lá o que aconteceria?
A mulher, a filhinha, a família desamparada
Retrata a carreira frustrada de um homem de bem
Ele falava nisso todo dia
O seguro de vida, o pecúlio
Era preciso toda a garantia
Se a mulher chora o corpo do marido
O seguro de vida, o pecúlio
Darão a certeza do dever cumprido

Alaiá, alaiá, alaiaialeluia
Alaiá, alaiá, alaiaialeluia

Ele falava nisso todo dia
Ele falava nisso todo dia
Se morresse ainda forte, um bom seguro era uma sorte
pra família
A loteria
Falava nisso todo dia

Era um rapaz de vinte e cinco anos
Era um rapaz de vinte e cinco anos
Hoje ele morreu atropelado em frente à companhia
de seguro
Oh! que futuro!
Oh! Rapaz de vinte e cinco anos

Alaiá, alaiá, alaiaialeluia
Alaiá, alaiá, alaiaialeluia


© Gege Edições / Preta Music (EUA & Canadá)

ficha técnica da faixa:
voz e violão: Gilberto Gil
arranjo: Rogério Duprat
direção musical: Rogério Duprat
guitarra: Lanny Gordin
baixo: Sérgio Barroso
bateria: Wilson das Neves
orgão & piano: Chiquinho de Moraes

Outras gravações:
"Retratos", Maria Bethânia, EMI
"A banda tropicalista do Duprat", Rogério Duprat, Universal Music
"20 obras primas", Gilberto Gil, Polygram 1996
"Gilberto Gil", Gilberto Gil, Polygram 1998
"Minha historia", Gilberto Gil, Polygram 1993
"Gilberto Gil - 2 lados", Gilberto Gil, Universal Music 1993
"Letra & música", Lulu Santos, BMG 2005
"Lulu acústico MTV II", Lulu santos, DGE Entertainment 2010
"Marcelo Costa", Lulu Santos, Biscoito Fino 2002
"Nova bis", Maria bethânia, Emi, 2005
"Preferencia nacional", Maria Bethânia, EMI Music 2005
"Nova Bis", Maria Bethânia, EMI 2005
"Serie Bis", Maria Bethânia, EMI Music 2000
"Meus momentos", Maria Bethânia, EMI Music 2004
"Retratos", Maria Bethânia, EMI Music 2004
"A banda tropicalista do Duprat", Rogério Duprat, Universal Music 2004


"Um dia eu li num jornal de São Paulo a notícia de um jovem que tinha se casado, feito seguro de vida e morrido; a família estava reclamando o seguro. Eu tinha 25 anos na época, estava casado, mas não tinha seguro de vida. Fiquei pensando: 'E se tivessse sido eu?' Aí eu fiz Ele Falava Nisso Todo Dia, uma música de militância, uma investida contra a busca de toda a segurança burguesa, de todos os anteparos, armaduras e ações contra as intempéries da vida. Estávamos todos investindo contra essas coisas.

"O que a canção condena é o desprezo pela vida nesse cultivo excessivo das formas de proteção, as cercas, do mundo burguês. É incrível como, aos 25 anos, o 'rapaz' - que personifica o ideal mediano, de classe média, de homem do mundo na sua versão mais comum - reitera com tanta obsessão esse cultivo; é lamentável a desimportância da vida para alguém tão jovem. E é paradoxalmente trágico que tudo que ele fala, tudo com que sonha, finalmente se realize com a sua morte prematura. Como uma fatalidade apropriada, 'desejada', uma auto-imolação para a vitória dos seus princípios: ele falava tanto naquilo que aquilo teve de acontecer para materializar o valor do ideal burguês.

"Em resumo, é a minha posição ideológica que decreta a morte da ideologia dele. Quer dizer, quem o mata sou eu. Na frente da companhia de seguros! Pra esfregar no rosto dele: 'Tá vendo? Você não queria tanto? Foi morto por isso'."

*

"Por outro lado, é tão louvável que o homem seja capaz de levar o sentimento básico de proteção à prole, de provisão do futuro dos filhos, àquele paroxismo. Essa música é ingênua por isso (ela ataca mas ao mesmo tempo justifica tanto ter um seguro de vida...): ela tem a ingenuidade do maniqueísmo ideológico típico da época. À leitura dialética, distanciada, a sua retórica não resiste. Hoje, numa situação mais cuidadosa, eu teria elaborado outros versos; já vejo daqui, de lá... No embate ideológico daquele tempo a parcialidade era radical porque a briga era de porrada, bando contra bando, USP contra Mackenzie..."
61493775