Encarte da "Caixa Palco"

Marcelo Fróes

Em 1985 o projeto "Luz do Solo", de concertos de voz e violão, estava em andamento. Toquinho, Geraldo Azevedo e Caetano Veloso haviam participado e gravado discos a partir dele. "E aí me sugeriram que eu fizesse, me convidando em seguida. Preparei rapidamente o show", lembra Gil acerca deste que foi seu primeiro disco oficialmente acústico.

Produzido por Liminha e gravado em 16 canais pela unidade móvel Nas Neblinas, o disco serviu-se na verdade de dois shows de Gil – daí ter-se chamado Gilberto Gil em Concerto e não "Luz do Solo". É Gil quem explica: "Foi feito a partir de duas sessões – uma no Teatro Municipal, com Ricardo Cristaldi (teclados) e Repolho (percussão) e outra no Golden Room do Copacabana Palace, totalmente solo". Cinco anos depois, exatamente em 1991, Gil retornaria ao Golden Room para uma nova temporada somente de voz e violão – ocasião em que gravou um especial para a TV Manchete.

"Era um formato muito apreciado e solicitado, tanto assim que por duas décadas em todos os meus shows – e também nos de Caetano – você sempre tinha uma parte acústica, fosse que show fosse", lembra Gil. "Caetano, aliás, ainda mantém isso até hoje, mas eu já nem tanto – embora todo mundo goste e queira banquinho & violão. Uma parte muito grande dos admiradores prefere isso: ‘Prefiro você sozinho com seu violão! Gosto muito de sua banda, do trabalho que você faz e da visão orquestral que você tem, mas você e seu violão é que importa!’".

O repertório do disco resgata músicas de Gil que ele próprio nunca havia gravado – como Eu Vim da Bahia e Soy Loco por Ti, América, gravadas nos anos 60 por Gal Costa e Caetano Veloso, respectivamente. Traz significantes revisitações a Procissão, Domingo no Parque, Mamma, Cores Vivas, Filhos de Gandhi e Palco, além da versão de Gil para I Just Called To Say I Love You, sucesso de Stevie Wonder em 1984. A música virou Só Chamei porque te Amo e tornou-se a faixa de trabalho do disco, quando lançado em março de 1987.

"Meu selo Geléia Geral estava começando e meu empresário Daniel Rodrigues teve interesse de levantar a bola, associando o selo ao meu nome – como proprietário e mentor da história – para dar prestígio à marca", lembra Gil, que soltou o disco juntamente com "Árvore da Vida", novo LP de Jorge Mautner. "A gente montou o espetáculo ‘O Poeta e o Esfomeado’ para lançar os discos e também um movimento cultural que nada mais era que um desdobramento do Kaos de Mautner", historia Gil. O espetáculo, que contou com partipação do percussionista Repolho, cruzou vinte cidades entre março e abril de 1987.

Gilberto Gil em Concerto foi o último álbum lançado por Gil antes de seu envolvimento com a política de Salvador. Quando o disco saiu, ele havia acabado de assumir – em janeiro de 1987 – a presidência da Fundação Gregório de Matos, quase que uma Secretaria Municipal de Cultura da cidade. Um ano depois, Gil lançou-se como pré-candidato à Prefeitura de Salvador e, não tendo sido aceito na convenção do partido, ainda assim candidatou-se à Câmara de Vereadores e foi eleito em 15/11/88. Durante aquele ano só faria o quase- jingle Pode, Waldir? E gravaria o tema da telenovela global "Mico Preto" – composto por Moacyr Luz e Aldir Blanc, além de preparar para outra novela o tema Amarra o Teu Arado a Uma Estrela – lançada em "O Salvador da Pátria" no início de 1989.

Junho, 2002

PS (1): O show do Golden Rom, gravado entre 3 e 5 de abril de 1986, traz o seguinte repertório: Minha Ideologia, Eu Vim da Bahia, Logunedé, Tradição, Back In Bahia, Cores Vivas, Esotérico, Aqui e Agora, Esotérico, Meditação, Retiros Espirituais, Se Eu Quiser Falar com Deus, Drão, Flora, Só Chamei porque te Amo, Não Chore Mais, Respeita Januário, 13 de Dezembro, Expresso 2222, Febril, Meu Amigo, Meu Herói, Aquele Abraço, O Sonho Acabou, Nega na Janela, Mamma, Super-Homem, Filhos de Gandhi e Palco.

PS (2): Já o show do Teatro Municipal contava com as seguintes músicas: Aquele Abraço, Eu Vim da Bahia, Procissão, Domingo no Parque, Soy Loco por Ti, América, Mamma, Back In Bahia, Se Eu Quiser Falar com Deus, Eu Preciso Aprender a Só Ser, Refazenda, Super-Homem, Expresso 2222, Oração pela Libertação da África do Sul e Filhos de Gandhi.

PS (3): Na época em que Gil lançou Gilberto Gil em Concerto, estava preparando para o mercado internacional o LP "Soy Loco Por Ti America". Dele faria parte uma regravação de Mar de Copacabana, original do LP "Extra" (83). Quando esta versão foi escolhida como tema de novela pela Rede Globo, a WEA remontou Gilberto Gil em Concerto – colocando Mar de Copacabana no lugar de Cores Vivas. Esta reedição não só resgata o LP original com Cores Vivas, como também oferece como faixas bônus Mar de Copacabana e duas outras gravadas para telenovelas na seqüência.