A paz (Leila 4)

Gilberto Gil
João Donato

A paz
Invadiu o meu coração
De repente, me encheu de paz
Como se o vento de um tufão
Arrancasse meus pés do chão
Onde eu já não me enterro mais

A paz
Fez o mar da revolução
Invadir meu destino; a paz
Como aquela grande explosão
Uma bomba sobre o Japão
Fez nascer o Japão da paz

Eu pensei em mim
Eu pensei em ti
Eu chorei por nós
Que contradição
Só a guerra faz
Nosso amor em paz

Eu vim
Vim parar na beira do cais
Onde a estrada chegou ao fim
Onde o fim da tarde é lilás
Onde o mar arrebenta em mim
O lamento de tantos "ais"


© Gege Edições / Preta Music (EUA & Canadá) /  © Acre Editora Musical LTDA.

ficha técnica da faixa:
voz e violão: Gilberto Gil
violão: Celso Fonseca
bateria e bandolim: Jorge Gomes
flauta: Lucas Santana
percussão: Marcos Suzano
baixo: Arthur Maia

Outras gravações:
"André Mehmari e Célio Barros", André Mehmari e Célio Barros, Eldorado
"Emílio Santiago encontra João Donato", Emílio Santiago e João Donato, Lumiar Discos
"Coisas de novela", Fábio Bortoleto, Atração Discos
"O canto da transformação", Jarbas Tauryno, Lua Discos
"Um barzinho um violão ao vivo - CD2", João Bosco, Universal Music
"Um barzinho, um violão", João Bosco, Universal Music
"O piano de João Donato", João Donato, Deck Discos
"Donatural - DVD", João Donato e convidados, Biscoito Fino
"Café com pão", João Donato e Eloir Moraes, Lumiar Discos
"João Donato Trio", João Donato Trio, Elephant Records
"Chill Brazil", Jorge Ben Jor, Warner Music
"Minha saudade", Lisa Ono, BMG
"Marisa Lobo", Marisa Lobo, Tratore
"Escrava Isaura", Max Vianna, Record Music
"Letras brasileiras II", Oswaldo Montenegro, Albatroz
"Rosa Passos", Rosa Passos, Lumiar Discos
"Sinal dos Tempos", Antonio Villeroy & Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, Pic Music/Warner Music
"O meu amor", Zizi Possi, Universal


"João Donato apareceu em casa um dia com uma fita com várias canções, todas chamadas Leila - Leila 1, 2, 3, 4 - umas quinze ou dezesseis no total. Eu disse: 'Deixa pra outro dia, hoje a gente não tem tempo...' E ele: 'Não, vá, apure aí, faça alguma coisa'. E começou a cochilar ao meu lado. A imagem dele dormindo sossegado, em plena luz do dia, me chamou a atenção para o sentido da paz. Me veio à lembrança o título do livro Guerra e Paz, de Tolstoi, e a letra foi sendo construída sobre essa contradição, reiterando minha insistência sobre o paradoxo.

" 'Uma bomba sobre o Japão fez nascer o Japão da paz', em A Paz; 'a luz nasce da escuridão', em Deixar Você; 'minha religião é a luz na escuridão', em Minha Ideologia, Minha Religião, o canto de abertura do disco Dia Dorim Noite Neon. Essa a recorrência básica no meu trabalho: yin e yang, noite e dia, sim e não, permanência e transcendência, realidade e virtualidade: a polaridade criativa (e criadora). 'Porque eu sou e Deus é, e disso é que nasce toda a criação', como diz uma outra música minha, É."
BRWMB9701928